quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

participantes zz jan 2009

para saber mais sobre quem estará no próximo ziguezague:


ADÉLIA BORGES - jornalista, curadora especializada em design e professora de história do design na FAAP. De 2003 a 2007 dirigiu o Museu da Casa Brasileira em São Paulo, SP. Tem uma larga atividade na divulgação do design brasileiro no exterior. Além de português, artigos, textos para catálogos ou livros de sua autoria já foram publicados em alemão, coreano, espanhol, francês, inglês, italiano e japonês.

ATELIER ZIGZAG – o atelier Zigzag surgiu da vontade da figurinista Silvia Moraes de realizar um trabalho pessoal e criativo. O ponto de partida foi a observação de que o produto de fantasias oferecido para as crianças é formatado, industrial sem nenhuma abertura para a imaginação, o inicio foi a criação de sainhas de tule de flores, varinhas de condão com fitas e guizos,fantasias de nada e de tudo, para a criança ser o que quiser, brincar. Agora a ZIGZAG cria de tudo, de árvores de frutas a chapéus de bolo.

CLÁUDIA GARCIA VICENTINI - professora da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo-EACH-USP-no curso: Bacharelado em Têxtil e Moda. Área em que atua: criação. Doutoranda do Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Engenharia Mecânica da UNICAMP- linha de pesquisa: Projeto de Produto de Vestuário. Mestre em Comunicação e Semiótica-PUC/SP-pesquisa: Lingeries. Engenheira Têxtil - FEI. Possui artigos em revistas, congressos e livros, tais como: Design de Moda: Olhares diversos. Intimidade Revelada (em pareceria com a HOPE Lingeries); Corpo e Moda, etc.

CRISTIANE MESQUITA - doutora em Psicologia com a tese Políticas do vestir: recortes em viés pelo Núcleo de estudos e pesquisas da subjetividade da PUC/SP. Atua como pesquisadora, professora, jornalista, consultora de projetos criativos e acadêmicos. É coordenadora da pós-graduação em Criação de Imagem e Styling de moda do Senac-SP e autora do livro Moda contemporânea: quatro ou cinco conexões possíveis (Anhembi Morumbi, 2004). Dirigiu os documentários Mas isto é moda? (DVD, 2006) e Jardelina da Silva: eu mesma (DVD, 2006).

EDUARDO MOTTA - estudou na Escola de belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais. É designer, palestrante, consultor e pesquisador, especializado em edição de moda. Autor do livro O Calçado e a Moda no Brasil e de textos sobre moda e cultura. Foi professor de Planejamento de coleções do CIMO,BH,MG. É consultor para edição de moda do Sistema Usefashion de Informações, RS.

FERNANDO MARQUES PENTEADO/ f.marquespenteado - artista visual com interêsse em técnicas têxteis em suas atividades educacionais e comerciais, e com pesquisa nas questões das sensibilidades urbanas e da construção das masculinidades. Cronista, fotógrafo e videomaker clandestino.

GLAUCIA AMARAL - produtora cultural. Desenvolve a 40 anos projetos culturais em várias áreas: artes visuais, cultura popular, cinema, literatura e música. Principal projeto: Concepção do Sesc Pompéia, proposta de restauração da antiga fábrica e coordenação do programa preliminar a partir do qual foi feito o projeto arquitetônico. Curadora de exposições em artes visuais. Desde 1986 desenvolve trabalhos em Wearable Art.

• JU BERTOLINI
- designer, seu trabalho encontra-se entre o design, a arte e a moda. Participou de diversas exposições internacionais como a mostra Talents de novos talentos do design mundial na Alemanha (2005) e a mostra de moda Garde Robes na França (2006), É professora do curso de graduação em Desenho Industrial do Mackenzie e da pós-graduação em Gestão do Design na Indústria da Moda no SENAI SP.

KARLLA GIROTTO - Formada em Desenho de Moda pela Faculdade Santa Marcelina atua no mercado de moda há seis anos e transita muito bem em outros ambientes de discussão estética como as artes plásticas. Estilista dos extremos e com personalíssima visão sobre os significados da moda, sua motivação é sempre de compartilhar experiências e vontades sobre visualidade, comportamento e inquietações estéticas.

LALI KROTOSZYNSKI - atua como performer e coreógrafa desde 1981. Sua pesquisa envolve cinema e coreografia, buscando narrativas emergentes em interfaces digitais especialmente desenhadas. Em 2006 criou e coordenou o evento F.A.q. - Perguntas sobre Arte, Consciência e tecnologia, com a presença de Roy Ascott e 17 artistas do Planetary Collegium, no SESC Paulista. Em 2007, seu projeto http://www.bodyweave.net recebeu bolsa fomento do Prêmio Sérgio Motta de Arte e Tecnologia e a bolsa-residência do British Council - Artists Links.

LAURA LIMA - mineira, vive e trabalha no Rio de Janeiro. Graduada em Filosofia pela UERJ, frequentou a Escola de Artes Visuais do Parque Lage no Rio de Janeiro no início dos anos 90. Por causa do hibridismo de suas obras, desenvolveu um glossário próprio para definí-las. Duas vezes convidada da Bienal de São Paulo, participa de diversas exposições no Brasil e no exterior. Laura co-dirige com Ernesto Neto e Márcio Botner a galeria de arte A Gentil Carioca no Rio de Janeiro desde 2003, sendo um dos principais lugares para se fazer e pensar arte atualmente na cidade do Rio de Janeiro e no Brasil. É ganhadora do Prêmio Marcantônio Vilaça de 2006.

LIANA BLOISI - formada em Artes Plásticas e proprietária da Galeria Convivium em Salvador, morou em NY 16 anos, atuando na área de design e estilismo de moda.Teve sua própria griffe a Modart e começou também a Wearable Art. Voltou ao Brasil em São Paulo abriu a Paradoxart, galeria de Art to Wear na R.Oscar Freire, desenvolvendo trabalhos com vários artistas, levando exposições em galerias e museus a vários estados, com mostras individuais e coletivas no Brasil e no exterior, Portugal, Alemanha, Japão, Córeia e outros. Continua atuando como consultora no design artesanal junto a comunidades em vários estados do Brasil.

LILIAN ALVES - Estilista, formada pela Faculdade Santa Marcelina, atuou por 3 anos na Levi's® do Brasil, e durante 2 anos como coordenadora de desenvolvimentos para o mercado Private Label (Fadel Fabril - Brusque/SC). Atualmente conduz o escritório de criação Laboratório dEstampa (SP) e desenvolve marca autoral. Alinhavando suas pesquisas através da memória e da escrita (com letras e fios, sobre o papel ou sobre o corpo), idealizou e manteve por 3 anos o brechó Futilidade Pública (SP) e está envolvida em projetos de jornalismo cultural e literatura independente desde 1996, é co-fundadora do Jornal da Praça (Benedito Calixto) e do tablóide cultural Café Literário, com os quais ainda colabora.

RITA ANDRADE - Dra em História pela PUC/SP, Ms em History of Textiles and Dress pela University of Southampton/Inglaterra. Coordenadora do curso Design de Moda da Faculdade de Artes Visuais/UFG e professora convidada do mestrado em Cultura Visual da mesma instituição. Atua como professora e pesquisadora no campo da história, design e cultura material, especialmente no estudo de acervos têxteis e de indumentária de museus que são referência nesta área: Museu Paulista/SP; Hampshire County Museum Services, Winchester/Inglaterra; Victoria & Albert Museum, Londres/Inglaterra; Museum at the Fashion Institute of Technology, Nova Iorque/EUA; Musée de la Mode et du Tissú, Paris/França; Museo Del Tessuto, Prato/Itália, entre outros.

ROSANE PRECIOSA - doutora em Psicologia Clínica (PUC-SP) com pesquisa ligada à Design de moda, processos de criação e produção de subjetividade. É professora do Programa de Pós-graduação em Design da Universidade Anhembi e professora da pós-graduação em Criação de Imagem e Styling de moda do Senac-SP. Autora do livro Produção Estética: notas sobre roupas, sujeitos e modos de vida.

TERESA BERLINCK - artista plástica. Graduação em Artes Plásticas na FAAP, SP; Mestrado em Artes Visuais FASM, Faculdade Santa Marcelina, SP. Exposições individuais e coletivas, obras em colaboração e iniciativas de artistas. A partir de 2004 elabora série de trabalhos processuais com participação do público.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

ZIGUEZAGUE JANEIRO 2009


DESFILES INCRÍVEIS - Imagens de desfiles disparam comentários de pesquisadores e diálogo com o público

CONVERSAS TRANSVERSAIS
- Convidados comentam relações, intersecções, aproximações e deslocamentos entre arte e moda

OFICINAS TRANSITIVAS
– Trânsito entre linguagens produz breves trajetórias de criação. Nesta edição, a matéria-prima é mote para atividades que exploram técnicas de modelagem, desenho e escultura para experimentações em acessórios e vestíveis
Número de participantes: 20

VÍDEO-SITUAÇÕES TÊXTEIS - Mostra de vídeos com curadoria do artista f.marquespenteado que reúne trabalhos de brasileiros e internacionais em sessões com diferentes eixos nas quatro tardes do evento


Data: 17 a 20 de Janeiro de 2009
Local: Auditório e ateliê do MAM – Museu de Arte Moderna de São Paulo. Parque do Ibirapuera


Inscrições: 5 – 16 JAN
Gratuitas para DESFILES INCRÍVEIS, CONVERSAS TRANSVERSAIS e VÍDEO-SITUAÇÕES TÊXTEIS

Taxa de R$10 para OFICINAS TRANSITIVAS


Vagas limitadas
Inscrições na hora do evento sujeitas à disponibilidade de vagas

Informações no site www.mam.org.br
e no blog http://ziguezagueblog.blogspot.com


17 JAN – SÁBADO


AUDITÓRIO
10h30 – ABERTURA


AUDITÓRIO
11hs - CONVERSA TRANSVERSAL

O têxtil e as artes visuais: galerias, passarelas e cidadãos. Comentários: Fernando Marques Penteado (cronista e artista visual).
Mediação: Cristiane Mesquita (pesquisadora de moda) e Lílian Alves (estilista)

AUDITÓRIO
14HS – VÍDEO-SITUAÇÕES TÊXTEIS

Visões têxteis contemporâneas I - f. marquespenteado/ Ernesto Neto/ Jarbas Lopes/ Lino Villaventura/ Karen Harley/ Luiz Hermano/ Laura Lima.

Artistas atuantes nas artes visuais brasileiras que processam seus trabalhos em intimidade com suportes têxteis. As pesquisas que serão apresentadas nos vídeos vão desde trabalhos em comunidades por entre oficinas de bordados como no caso de f. marquespenteado e seus projetos em penitenciárias masculinas, ou o trabalho de Jarbas Lopes em suas disputas cívicas e debate sobre a bio-política do corpo, passam pela estética da fibra têxtil que constrói com meros nós espaços monumentais como no caso dos monumentos auto equilibrados de Ernesto Neto, ou maravilhas artesanais como no trabalho de Lino Villaventura, e chegam até as tecnologias do corpo performático, corpo que experimenta apêndices e amarras onde o têxtil é contemporaneamente elemento comunicante e alicerce, como nos trabalhos de Laura Lima


ATELIER
14H – OFICINA TRANSITIVA

Novos costumes, também quero pra mim - Experimentação de modelagens em vinil baseadas no trabalho Novos costumes, apresentado pela artista na Bienal de 2006
Laura Lima (artista plástica)


18 JAN – DOMINGO

AUDITÓRIO
11hs – DESFILES INCRÍVEIS

Matéria prima: memória e outros enredos - Reinaldo Lourenço SPFW verão 2009 + Melk Zda Fashion Rio verão 2009 + OEstudio SPFW verão 2009. Comentários: Rita Andrade (historiadora e autora de biografias das roupas) e Cláudia Garcia Vicentini (pesquisadora têxtil). Mediação: Eduardo Motta (consultor de moda)

ATELIER
11HS – OFICINA TRANSITIVA

Inventando moda – criação de fantasias para crianças a partir de materiais diversos.
Atelier Zigzag (da figurinista Silvia Moraes) - http://atelierzigzag.wordpress.com/
OBS: para crianças entre 4 e 9 anos

AUDITÓRIO
14HS – VÍDEO-SITUAÇÕES TÊXTEIS

Visões têxteis contemporâneas II - David Littler/ Fiona Kirkwood/ Christopher Pearson/ Hetain Patel/ Miranda Whall/ Linda Florence/ Leora Farber

Artistas internacionais que experimentam o têxtil por entre sua infinita capacidade de significar. Os trabalhos vão desde experimentos vídeo-sensíveis que disputam as noções dos elementos decorativos como é o caso de Christopher Pearson e sua inquietante parábola digital orientada para efeitos decorativos, ao lado dos experimentos de Miranda Whall com suas perturbadoras animações-papéis-de-parede, performances que se apropriam do conteúdo das padronagens universais para dissemina-las em novas plataformas como nos trabalhos de Linda Florence em tablados cobertos de motivos têxteis aplicados com açúcar branco granulado por sobre onde uma valsa tem lugar, ou o trabalho de Hetain Patel em pintura de henna corporal aonde o artista, sobre o seu próprio corpo, recebe e contemporaneamente copia-em-espelho, um padrão que lhe é desconhecido, e chegam aos projetos vivenciais onde as comunidades narram suas vidas e suas fábulas, narrativas entretecidas à história do têxtil, como no caso de David Littler na Inglaterra e o de Fiona Kirkwood na África


ATELIER
14H – OFICINA TRANSITIVA

A-sensórios - Criação de acessórios bio-inspirados e experimentações sensoriais
Juliana Bertolini (designer) - http://www.julianabertolini.com
OBS: OS INSCRITOS NA OFICINA A-sensórios DEVERÃO TRAZER MATERIAL DE DESENHO DE SUA PREFERÊNCIA E KIT COSTURA

19 JAN – SEGUNDA

AUDITÓRIO
11hs– CONVERSA TRANSVERSAL

Curadorias em têxteis e vestíveis. Comentários: Gláucia Amaral (curadora) e Adélia Borges (jornalista e curadora de design)
Mediação: Rosane Preciosa (pesquisadora de moda e design)

AUDITÓRIO
14HS – VÍDEO-SITUAÇÕES TÊXTEIS

Eminências têxteis brasileiras: de Lygia Clark a Bispo do Rosário - Lygia Clark/ Letícia Parente/ Ana Maria Maiolino/ Miguel Przewodowski & Helena Martinho da Rocha/ Hugo Denizart/ Kátia Maciel/ Karen Harley

Nesta sessão o têxtil brasileiro se faz histórico: artistas, de eruditos aos mais incomuns, afinam suas obras nas cordas e ressonâncias do universo têxtil.
Vídeos documentais nos aproximam de obras inquietantes (Kátia Maciel revive Hélio Oiticica, Karen Harley edita os diários gravados de Leonilson),
ou mesmo nos dão a oportunidade de testemunhar artistas que, em primeira pessoa, narram seus processos e visões (Artur Bispo do Rosário dentro da cobertura inspirada de Hugo Denizart, Ana Maria Maiolino em elegia à sua terra natal e seus diários, Lygia Clark aplicando seu método e seus instrumentos têxtil-sensíveis). Por outro lado, vídeos autorais nos ensinam que a dinâmica da arte contemporânea já se encontrava incrustada desde há décadas, tão bem fica demonstrado na eficaz e inspirada obra em vídeo de Letícia Parente


ATELIER
14H30 - OFICINA TRANSITIVA

Árvore genealógica: modelagens e estampas de nossas histórias - Experimentação com desenhos, colagens, textos e memórias
Fernando Marques Penteado (cronista e artista visual)


20 JAN – TERÇA

AUDITÓRIO
11hs – DESFILES INCRÍVEIS

Desfiles em estado de arte: wearable e outras derivas. Como viver sem dor - Comevestíveis, Vertigo, Polyester, Lucia Koch e os Acessoristas - flash de desfile concebido por grupo de artistas na exposição Modos da Moda/1992 + Gareth Pugh - primavera/verão 2007 / Maison Martin Margiela -primavera/verão 2009. Comentários: Liana Bloisi (consultora de design e estilo) e Lali Krotoszynski (coreógrafa e performer) - http://www.bodyweave.net
Mediação: Karlla Girotto (estilista)

AUDITÓRIO
14HS – VÍDEO-SITUAÇÕES TÊXTEIS

Visões têxteis contemporâneas em performance - Linda Florence/ Laura Lima/ Hetain Patel/ Christine Ellison aka Polly Fibre/ Jarbas Lopes/ Jum Nakao

É nesta fusão inquietante entre o artista, seu corpo e sua fantasia espacial aonde o têxtil recria os territórios os mais inusitados. Os vídeos desta sessão expõem a platéia à leituras do têxtil enquanto movimento: os artistas visitam desde o singelo cotidiano caseiro da costura, como na irreverente leitura da costureira e seus instrumentos na performance de Polly Fiber, até as incessantes migrações poéticas das padronagens entre povos, aonde o têxtil é amálgama cênico (Hetain Patel e Linda Florence)
Os resultados visuais estarão, entretanto, contaminados de tecnologia digital, de sonhos românticos, seguidos de intensos mas muito intensos frenesis (em especial Polly Fiber , Laura Lima e Jum Nakao)




ATELIER
14H OFICINA TRANSITIVA

Trama da semana - Criação coletiva de veste-escultura a partir de refugo de material impresso da SPFW
Teresa Berlinck (artista plástica) - http://cozinhacultural.blogspot.com // http://meulivrodela.blogspot.com

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

ziguezague 5ª edição – janeiro 2009

MAM e Senac São Paulo
apresentam
ziguezague: desfiles incríveis, oficinas transitivas, conversas transversais
5ª edição – janeiro 2009



Mais uma edição do ziguezague ocupará o MAM entre 17 e 20 de janeiro de 2009. Realizado pelo MAM e Senac São Paulo, o ziguezague conta com a presença fiel de um público interessado em transversalidades entre a moda e a arte.

Nesta edição, experimentações com a matéria-prima são o mote para as atividades que incluem oficinas transitivas, conversas transversais e a mostra desfiles incríveis. Realçando múltiplas tramas entre arte e moda, o quinto ziguezague convida pesquisadores, curadores e artistas para conversas que vão da matéria prima à passarela. Os têxteis também conduzem a curadoria da mostra de vídeos, realizada pelo artista f.marquespenteado que reúne trabalhos de artistas brasileiros e internacionais em diferentes sessões, programadas para todas as tardes do evento. Ernesto Neto, Jarbas Lopes, Jum Nakao, Letícia Parente, Lygia Clark, Lino Villaventura, Fiona Kirkwood e Hetain Patel são alguns dos nomes de artistas e designers de moda que integram as vídeo-situações têxteis propostas pelo curador, agrupadas nas sessões Visões têxteis contemporâneas I e II, Eminências têxteis brasileiras e Visões têxteis contemporâneas em performance.

Felipe Chaimovich
, curador do MAM, destaca a importância da moda para a arte contemporânea. “A relação entre vida e arte é um dos temas norteadores da arte contemporânea. A moda torna-se, assim, uma interface de pesquisa privilegiada para artistas refletirem sobre a cultura atual, pois materializa comportamentos de diversos segmentos da sociedade. O ziguezague traz ao MAM o debate entre arte e moda, representado por diversos profissionais de ambas as áreas, criando ainda um diálogo com o acervo e com as exposições do Museu. Ao participar do evento, o público terá acesso a uma discussão de ponta na cultura, tendo a oportunidade de aprender e criar”, enfatiza o curador.

Para o Senac São Paulo, centro de referência na área de moda, o ziguezague afirma o direcionamento da instituição em eventos que instiguem reflexões, reforçando a perspectiva de compartilhar experiências e consolidar conhecimentos.

Cristiane Mesquita
- pesquisadora de moda convidada pela curadoria do MAM para conceber o evento - ressalta que o título ziguezague nasceu da idéia de de ir e vir, de transitar entre diferentes linguagens: “o movimento ziguezague possibilita a invenção de linhas inspiradoras para se pensar arte e moda, suas apresentações e manifestações, em perspectivas das mais diversas, pois cria diagonais entre reflexões e práticas, a partir do diálogo entre os campos.” Nesse sentido, vale lembrar que a novidade desta edição – as vídeo-situações têxteis são particularmente inspiradoras, pois os sentidos que os artistas conferem à matéria prima, à técnica e aos vestíveis são surpreendentes.

Créditos

Realização: MAM e Senac São Paulo
Curadoria: Cristiane Mesquita e Thais Graciotti (Olho Imagem de Moda). Curador convidado para a mostra de vídeo-situações têxteis: f.marquespenteado
Produção: Marcos Farinha e Equipe MAM (Andrés Hernández e Ana Cristina Pinheiro Franco).

Serviço

Datas: 17 a 20 de Janeiro de 2009
Locais: Auditório e ateliê do MAM. Parque do Ibirapuera

Inscrições: gratuitas para Desfiles incríveis, Conversas transversais e Vídeos-situações têxteis

Taxa de R$10 para Oficinas transitivas
Número de participantes das oficinas: 20

Vagas limitadas
Inscrições na hora do evento sujeitas a disponibilidade de vagas

Informações no site www.mam.org.br
e no blog http://ziguezagueblog.blogspot.com

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

quinta-feira, 3 de julho de 2008

zz n'1min



o ziguezague anda inspirando... o festival do minuto lançou como tema do mês a palavra zigzag, inspirado no nosso evento!

e você, não se interessa em também ziguezaguear no vídeo?

as inscrições vão até dia 31 de julho.

quarta-feira, 25 de junho de 2008

sem costura

camisetinha recheada com salmão, petisco servido no lounge do senac

detalhes II




estampa trendy do cobertor para passar roupa

argila em plena expectativa

sandália da bia, aluna da pós-g em styling de moda do senac que veio de fortaleza e fez a oficina do xu

terça-feira, 24 de junho de 2008

ziguezagues presentes

miki watanabe, artista e stylist - que no segundo zz coordenou a oficina "baile de máscaras de veneza", agora participou da oficina da karlla e do jum

clarice borian, proprietária da brazoo - que participou de quatro oficinas nesta edição - sentada no banco chamado zig zag, autoria dos irmãos campana

deborah de paula souza, jornalista, poeta e estudante de psicanálise - que participou da mesa "procuro-me: aparência e sensação de si" no zz de junho/2007, agora na oficina "meu espaço", do ale perroca

equipe II












ale perroca, oficineiro, com o joão do educativo, que ajudou o pessoal a se jogar na argila

bruno super participante das conversas e oficinas, entre as meninas do educativo

paula, luciana e thais atentas à oficina da erika

douglas e alex tecendo os fios dos bastidores







equipe I




ana e greg recebendo os inscritos

luciana e marcao organizando arquivos

thais registrando tudo

junho 2008


o zz terminou faz apenas dois dias. além de pensar nas experiências bacanas que esse nos trouxe, já estamos de olho na próxima edição. a novidade de expandir as oficinas para o parque, para o auditório do mam para o lounge do senac na bienal nos trouxe várias experiências novas e maior presença da equipe por perto, agilizando tudo. falando nela, o que seria do zz sem o zz prévio e presente desse pessoal?
segue, mais uma vez, meu super obrigada para todo mundo: marcos farinha, luciana e paula, thais graciotti, todo o pessoal do educativo do mam, douglas e alex da cabine do auditório e, claro, andres hernandez e a super ana - responsáveis pelo acontecimento zz no mam - e marta magri, wilson ramalho - apoiadores irrestritos do senac. deixo aqui no blog alguns registros do pessoal que trabalhou nessa ediçao

segunda-feira, 23 de junho de 2008

meu espaço

enquanto acontecia a oficina do XÚ no auditório do MAM, o arquiteto e fotógrafo, alexandre perroca comandava no ateliê a oficina Meu espaço com experimentações no corpo e no espaço instigando o deslocamento de limites na interação corpo-roupa.
os paticipantes se jogaram no barro para a partir do corpo criarem formas que ao se unirem com o tecido e/ou roupa criarem objetos-produtos.

os corpos de cada um reverberaram lindas produções.







mãos em tudo!





a lígia trabalhou na produção do primeiro zz e veio participar da oficina do XÚ nesta edição. ela fundiu todos os espaços com sua mãos verdes de vinil!

espaço-ocupação-fusão






Na oficina do XÚ, Espaço–ocupação–fusão , o desenho é ponto de partida e o vinil adesivo o suporte para a ocupação do espaço.

No final eles juntaram todas as mesas formando um grande painel. alguns ainda levaram para casa seus trabalhos.

dia 4 - - - zz




o último dia do zz começou com os desfiles incríveis. a mediação ficou por conta da jornalista astrid façanha e na mesa estavam as pesquisadoras nízia villaça e suzana avelar.

foram apresentados os desfiles do jefferson kulig, inverno de 2004 e na sequência flashes de desfiles internacionais (diesel - liquid space-s/s 08, alexander mcqueen - s/s 99 e f/w 06, hussein chalayan s/s 07 e f/w 08).

a conversa ficou em torno do tema corpo-moda-tecnologia. a nízia trouxe relações da tecnologia como meio midiático na moda que toma como inspiração o uso nas artes plásticas, principalmente na performance e na instalação. a astrid acrescentou falando um pouquinho desse corpo que se supera e se esgota em tempos de tecnologias. a suzana trouxe lindas imagens da tecnologia na moda. falou do conceito de moda e tecnologia e suas relações com um corpo que antes de tudo deseja constantes modificações, e que desfrutam do uso dessa tecnologia não só no corpo como na roupa dos mais variados modos.

confira aqui imagens do jefferson kulig e os vídeos dos desfiles apresentados!








video


video

video


video

video

shiiii....

ipê com karlla

ficaram faltando as fotos do pessoal da oficina da karlla girotto no primeiro dia do zz terminando seus desenhos embaixo do ipê no parque. para ativar a sensibilidade...





domingo, 22 de junho de 2008

para inspirar, laura terminou sua fala com o vídeo let forever be dos chemical brothers, dirigido pelo incrível michel gondry.

video

tesouras garça para delicadezas, na erika.

outros vestidos II



para marcar o habitat, na oficina da laura

outros vestidos I



desconstruídos-reconstruídos, na oficina do jum

florescentes do grupo















a thais já postou ali abaixo algumas das produções do pessoal do vestido imáginario, que usou técnicas diversas, tipo colagem, pintura, adesivagem, recorte. aqui tem mais

florescentes da erika




muito bacana ouvir a erika falando sobre formas e verbos que acompanham seu trabalho. uma delas, os vestidos. um deles, florescer

o imaginário verzutti



não sei se era o clima de piquenique que rolava paralelo, mas os materiais da oficina vestido imaginário, lindamente trabalhada pela erika verzutti me davam vontade de comer

bibliografia



a laura começou sua oficina no lounge do senac, dentro da bienal. as referências que ela mostrou foram as mesmas da conversa da sexta feira. muita gente perguntou sobre os autores e livros que ela pesquisa ela deixou tudinho relacionado pra gente. aí vai:

Arquitectura
Gottfried Semper, Los cuatro elementos de la construcción, 1851
Adolf Loos, Arquitectura. Ensayos, 1910
Gottfried Kubler, La configuración del tiempo, 1988
Georges Teyssot , Hábitos/Habitus/Hábitat, 1996
Joaquín Arnau Amo, Nuevos modos de habitar, 1997”
Walter Benjamin

Danza Teatro
Gastón Bachelard
Grotowsky
Pina Baush

Estudios sociales y culturales
Bordieu, Deleuze, Foucault, Durkeim, Mafesolí